Textos Acadêmicos

1- Zé Carioca por Renato Canini: uma análise a partir da óptica da Educação Ambiental
por Wagner Valente dos Passos e Elisabeth Brandão Schmidt

Resumo: Este artigo pretende analisar por meio da óptica da Educação Ambiental, o universo do personagem de histórias em quadrinhos Zé Carioca, entre os anos de 1970 e 1977, período no qual foi desenhado pelo cartunista Renato Canini. Considerado um dos maiores cartunistas brasileiros, Canini é natural de Paraí e reside hoje na cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul. Responsável pela transformação não apenas do traço, mas social de Zé Carioca, Canini é reverenciado por transgredir a estética e o universo original do personagem. Criado em 1942 em plena Segunda Guerra Mundial, Zé Carioca foi desenvolvido pelos estúdios de Walt Disney por meio de incentivos do governo dos Estados Unidos, juntamente com outros personagens identificados com a cultura de alguns países da América Latina e que objetivavam angariar simpatia para os aliados. Primeiramente concebido com algumas pompas, usando terno e gravata borboleta, no traço de Canini Zé Carioca passou a usar camiseta, a morar em um barraco localizado em uma favela e a conviver com os dramas cotidianos do povo brasileiro como a falta de dinheiro, a fome e a imersão em eternas dívidas, além de estar sempre buscando uma forma alternativa de sobrevivência, características que trouxeram descontentamento aos executivos norte-americanos da Disney, culminando na sua demissão da Editora Abril.
Palavras Chaves: Educação Ambiental, histórias em quadrinhos

*Artigo apresentado no III EICS - Encontro Internacional de Ciências Sociais, em Pelotas, 8 a 11 de outubro de 2012
Link para o artigo:
http://www.ufpel.edu.br/ifisp/ppgs/eics/dvd/documentos/gts_llleics/gt4/g4wagner.pdf



2- Humor Gráfico e Educação Ambiental: 
irreverência e criatividade nas práticas pedagógicas com crianças
por Wagner Valente dos Passos, Elisabeth Brandão Schmidt


Resumo: Este artigo discorre sobre a aproximação do humor gráfico e da educação ambiental em ações e práticas pedagógicas, nas quais exercícios críticos de reflexão e de produção de desenhos potencializam as relações da criança com o ambiente. Dessa forma, aciona a sua capacidade criativa e outras formas de pensar e compreender a realidade e nela agir.
Palavras-chave: Educação Ambiental; Humor Gráfico, Práticas Pedagógicas

*Artigo publicado na revista Contraponto, volume 14, número 1, ano 2014.
Link para o artigo:
http://dx.doi.org/10.14210/contrapontos.v14n1.p203-219
Qualis:
B1 - Educação
B4 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo



3- Humor gráfico: linguagem e crítica para uma educação ambiental sem fronteiras
por Wagner Passos
Título de Mestre em Educação Ambiental
Banca: Elisabeth Brandao Schmidt (Orientadora - FURG)
Alfredo Guillermo Martin (FURG)
Michele Tomoko Sato (UFMT)

Resumo: Esta pesquisa objetivou compreender em que sentido e de que forma o Humor Gráfico potencializa processos de Educação Ambiental. Teve como objeto de pesquisa a 1ª Mostra Internacional de Humor sobre Educação Ambiental, exposição realizada durante o V CPEASUL - Colóquio de Pesquisadores em Educação Ambiental da Região Sul do Brasil e do IV EDEA - Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental, promovidos pelo Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande, em 2012. A Mostra reuniu 142 cartuns de 142 cartunistas de 38 países. Os desenhos que integraram a exposição foram analisados e categorizados com o propósito de investigar as temáticas ambientais e as relações locais e globais apresentadas em cada trabalho. Também foram realizadas entrevistas com pesquisadores e educadores ambientais que interagiram com os cartuns, durante a Mostra, em processo complementar à produção dos dados da pesquisa. O corpus gerado, a partir da transcrição das entrevistas, possibilitou a análise e a identificação de possibilidades e limitações do Humor Gráfico em processos de Educação Ambiental. Os dados empíricos foram sistematizados e discutidos à luz de teóricos como Félix Guattari, Eduardo Galeano, Ariel Dorfman, Karl Marx, Paulo Freire, Jiddu Krishnamurti, Lucie Sauvé, David Harvey, Michèle Sato, entre outros. A investigação possibilitou a emergência de questões relacionadas ao fato de como o Humor Gráfico e a Educação Ambiental estão inseridos nos debates sociais e ambientais da atualidade. Um dos principais resultados da pesquisa aponta para a potência do Humor Gráfico, como disparador do diálogo em processos que perturbam, desacomodam e desafiam a inteligência do leitor.
Palavras chave: Educação ambiental; Humor Gráfico;

*Dissertação defendida em 29/11/2013 junto ao Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental
Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Link para a dissertação:
http://www.argo.furg.br/?BDTD10347

Um comentário:

Anônimo disse...

Cara, podia postar a tua dissertação que achas?
carlos.